- InformNapalm.org (Português) - https://informnapalm.org/pt -

A missão russa junto da OSCE manipula dados sobre “o destacamento de mais de 70 tanques ucranianos para o Donbas”

Os voluntários da InformNapalm analisaram declarações manipulativas promovidas activamente na página oficial do Twitter da Missão Russa junto da OSCE. Em particular, reparámos que as manipulações intensificaram-se imediatamente após os relatórios sobre a utilização do mais recente equipamento russo no Donbas. Notavelmente, a missão russa ilustrou as suas mensagens oficiais com fotografias alteradas tiradas em 2014. Esta combinação de fotografias não relevantes e informações manipulativas visa desviar a atenção dos factos sobre as violações constantes da retirada de armas das forças de ocupação russas no Donbas.

Assim, a 22 de Novembro de 2020, mensagens escritas em russo e em inglês na página oficial do Twitter da Missão Russa junto da OSCE informaram que o SMM (Missão Especial de monitorização) da OSCE registou uma grande acumulação de armamentos das Forças Armadas Ucranianas em centros ferroviários no Donbas. Foi notado que “apenas nos últimos dias, mais de 70 tanques e dezenas de armas pesadas de grande calibre” dirigiam-se para o Donbas.

Links para tweets em russo [1] e em inglês [2]

[3]

Os voluntários da comunidade internacional InformNapalm acharam esta informação exageradamente sensacional. Decidimos procurar a fonte original desta imagem. Por meio de uma pesquisa regular no Google, imediatamente obtivemos uma fotografia correspondente, com uma única diferença: era um pouco mais clara. A fotografia levou-nos à notícia no site UApress de 10 de Julho de 2014 com o título “Comboio com tanques ucranianos está a dirigir-se para o Donbas” (arquivo [4]).

[5]

Por uma questão de objectividade, não nos vamos precipitar para a conclusão de que o tweet é uma história falsa. Talvez seja ilustrado por uma fotografia antiga alterada, mas com base em factos verdadeiros?

O que a SMM da OSCE relata sobre os tanques

Também verificámos os relatórios oficiais da Missão de Monitorização Especial da OSCE na Ucrânia (SMM) para descobrir registos recentes de qualquer redistribuição significativa de equipamentos. Considerando que “mais de 70 tanques” foram mencionados nos tweets da Missão Russa para a OSCE, pesquisámos 10 relatórios oficiais da SMM da OSCE de 12 a 23 de Novembro com as palavras-chave tanque / tanques.

Um número significativo de tanques ucranianos foi de facto visto nas estações ferroviárias a 55-60 km da zona de guerra (muito além das linhas de retirada). No entanto, isso pode indicar não só a chegada, mas também o envio do equipamento para manutenção. Na verdade, o equipamento é periodicamente retirado da zona da Operação das Forças Conjuntas (JFO) e enviado para reparações em outras partes da Ucrânia. Por exemplo, em Outubro de 2020, Ukroboronprom relatou [16] que a empresa estatal Malyshev Plant em Carcóvia reparou e modernizou um lote de tanques T-64 da zona de JFO em Donbas.

O armamento russo viola as linhas de retirada e é localizado em áreas residenciais

Enquanto isso, os relatórios da SMM da OSCE também mostram periodicamente que tanques e outras armas pesadas das forças de ocupação russas no Donbas não estão apenas posicionados em violação das linhas de retirada, mas também estão localizados perto e dentro de áreas residenciais. Em particular, esses factos foram registados num dos últimos relatórios (nº 278/2020). No entanto, isso não levantou nenhuma preocupação por parte da Missão Russa junto da OSCE. A retórica da página oficial da Missão Russa é nada menos que propaganda enganosa e manipulação. Por exemplo, a 19 de Novembro, estes publicaram outro tweet de propaganda: [17]

Apelamos à OSCE e aos inspectores externos da Ucrânia para que exerçam a influência necessária sobre as autoridades ucranianas a fim de induzi-las a um diálogo directo e orientado para os resultados com representantes do Donbas…

Ao mesmo tempo, a Rússia continua a negar a multitude de factos baseados em provas que confirmam que o Kremlin é na verdade o principal controlador da guerra no Donbas. O Kremlin, controla formações armadas híbridas e envia constantemente militares e equipamentos russos para certas áreas das regiões de Luhansk e de Donetsk.

Por exemplo, a InformNapalm com referência aos registos da SMM da OSCE e evidências fotográficas de VANT relatou [18] que o sistema de guerra eletrónica avançado russo Navodchik-2 foi detectado de forma confiável pela primeira vez na parte ocupada da região de Luhansk, a 12 km da linha de frente. O sistema inclui sete drones da família Granat de várias modificações com alcances de 10, 15, 25 e 100 km. O sistema é projetado para realizar reconhecimento e tarefas especiais, em particular, para fornecer coordenadas de alvos para artilharia de grande calibre e múltiplos sistemas de lançamento de foguetes (MLRS) no nível de batalhão.

No total, durante a guerra no leste da Ucrânia, de acordo com a pesquisa OSINT feita apenas pela InformNapalm [19], mais de 2.600 militares russos de 101 unidades do exército russo [20] e agências de aplicação da lei russas foram identificados na Ucrânia, bem como 51 tipos de armas russas e de equipamento militar que não poderia ter sido capturado em combate e aparentemente foi trazido secretamente para o Donbas proveniente da Federação Russa. Os tanques de batalha principais de 5 modificações [21] que não estão em serviço com as Forças Armadas ucranianas foram identificados entre o equipamento que foi transferido para Donbas da Federação Russa.

Vejam também:


Tradução: Helena Sofia da CostaDistribuição e partilha com referência à fonte são bem-vindas! A comunidade InformNapalm [31] não tem nenhum apoio financeiro do governo de nenhum país ou doador, os únicos patrocinadores do projeto são os seus voluntários e leitores. Também pode ajudar o InformNapalm com uma contribuição através da plataforma Patreon [32].

Siga o InformNapalm no Facebook [33] / Twitter [34] / Telegram  [35]e fique a par das novas publicações da comunidade.