- InformNapalm.org (Português) - https://informnapalm.org/pt -

Ataques russos contra a Ucrânia na região de Luhansk (território controlado pelo governo ucraniano)

A 17 de Fevereiro, cerca das 9h00 da manhã, as tropas de ocupação russas efectuaram bombardeamentos na região de Luhansk, especificamente, na vila de Stanytsya Luhanska, controlada pelas Forças Armadas da Ucrânia.

Foram atingidos uma escola e um jardim de infância, bem como residências privadas. 

Os militares russos bombardearam civis ucranianos ao usar artilharia de 122 mm e morteiros, como resultado disso, foram atingidos vários bairros habitacionais da vila.

Em total, foram disparados 32 obuses. Um deles atingiu a parede frontal do jardim de infância  n.º 32 “Kazka” (“Conto de Fadas”). Segundo dados preliminares as crianças não foram feridas, mas duas educadoras e um técnico auxiliar obtiveram contusões. 

Além disso, foi danificada a infraestrutura municipal: mais de metade da vila ficou sem gás e sem corrente elétrica. Os militares ucranianos [1] das Operações das Forças Unificadas (Joint Forces Operation) evacuaram imediatamente os residentes locais para abrigos anti- artilharia. 

Pouco depois, nessa mesma manhã, pelas 10h25, foram atingidas as instalações da escola da aldeia de Vrubivka, que fica no distrito de Popasna da região de Luhansk. 

O fogo provém da parte do território temporariamente ocupado da Ucrânia. Consequentemente, foram atingidas janelas da escola na rua Schkilna, n.º 5. No momento do bombardeamento na escola estavam presentes 30 alunos e 14 funcionários, que se abrigaram na cave da escola.  

Como já foi mencionado, como resultado do bombardeamento foram destruídas as condutas de gás, desta forma, cerca de 70 apartamentos e 96 residências privadas ficaram sem gás. Foi igualmente danificada uma moradia na rua Central(na) № 4. De momento, não há mais informações sobre vítimas e danos.

[6]

Conclusão 

Estamos a testemunhar um ataque directo russo dirigido contra os civis ucranianos mas usado como provocação das Forças Armadas da Ucrânia, com o potencial objectivo de usá-lo como Casus Belli, sobre o qual a Ucrânia recentemente tem sido avisada pelos aliados britânicos, americanos e outros países que serviria de pretexto para atacar a Ucrânia. 

Usando mentiras descaradas, propagandistas russos já tentaram, sem demora, aproveitar esse ataque para acusar a Ucrânia. E o que é ainda mais estranho, usando as mesmas fotografias, mas a afirmar que as fotografias foram tiradas na parte ocupada da região de Luhansk e que eram resultados do “ataque ucraniano”.

A agressão militar de longa data da Rússia contra a Ucrânia continua. Tudo começou com a tomada da Crimeia, continuou com a guerra em Donbas e agora ameaça não só a Ucrânia, mas também os países da NATO. Somente acções coordenadas dos aliados e prontidão para defender conjuntamente as nossas fronteiras de ameaças terroristas e militares são capazes de forçar o Kremlin a parar a escalada da guerra na Europa.


Escrito por Helena Sofia da Costa especialmente para o InformNapalm.

Distribuição e partilha com referência à fonte são bem-vindas! O InformNapalm [7] não tem nenhum apoio financeiro do governo de nenhum país ou doador, os únicos patrocinadores do projeto são os seus voluntários e leitores. Também pode ajudar o InformNapalm com uma contribuição através da plataforma Patreon [8]. Siga o InformNapalm no Facebook [9] / Twitter [10] / Telegram [11]e fique a par das novas publicações da comunidade.