- InformNapalm.org (Português) - https://informnapalm.org/pt -

Evidências do envolvimento do comandante e da tripulação do navio R-60 na agressão contra a Ucrânia

Os voluntários da comunidade internacional de informação OSINT InformNapalm [1] recolheram novas provas da participação do exército russo na agressão contra a Ucrânia na Crimeia. Foi detectado que o navio lança mísseis P-60 (lê-se R-60) da 41ª tripulação de Mísseis da Frota do Mar Negro da Federação Russa durante a operação especial de captura da Criméia participou no bloqueio dos navios da Marinha da Ucrânia na Baía de Donuzlav. 

A tripulação e o comandante do barco receberam condecorações por terem participado na agressão contra a Ucrânia. Curiosamente, o comandante do  navio lança mísseis P-60 também já havia sido premiado pela agressão contra a Geórgia.

Um navio de mísseis, também chamado de Lança Mísseis é um pequeno navio armado com mísseis anti-navio. [2]

Naquela ocasião, o comandante do navio não estava na lista de oficiais do pessoal de comando das Forças Armadas e representantes das autoridades da Federação Russa, que haviam sido nomeados pelo procurador-geral da Ucrânia da suspeita de terem participado na agressão.

O  o navio lança mísseis P-60 (R-60) também não está na lista de navios envolvidos na agressão contra a Ucrânia. 

Portanto, os voluntários da InformNapalm recolheram novos factos e apelam abertamente às estruturas estatais da Ucrânia e exortam-nas a realizar todas as acções processuais necessárias contra o comandante e membros da tripulação do navio lança mísseis P-60 da frota do Mar Negro da Federação Russa.

Duas divisões da 41ª Brigada de barcos lança-mísseis da Frota do Mar Negro da Federação Russa.

A 41ª Brigada de barcos lança-mísseis da Frota do Mar Negro [3] da Federação Russa (unidade militar 72165,  tem como base permanente: a cidade de Sevastopol, na península da Crimeia temporariamente ocupada) inclui duas divisões: a 166ª Divisão Novorossiysk de Navios Lança Mísseis pequenos e a 295ª Divisão Sulinsky de Navios Lança Mísseis.  

Navios de ambas as divisões participaram na operação especial para capturar Crimeia. A InformNapalm já escreveu sobre o envolvimento da 166ª Divisão [4] na agressão contra a Ucrânia. 

Hoje, publicamos os dados dos agressores russos da 295ª Divisão Sulinsky de Navios Lança Mísseis, em particular, dos membros da tripulação do barco Lança Mísseis R-60 (o número de registo do navio lança mísseis 955). [5]

Os dados estabelecidos

A fotografia mostra os marinheiros russos Konstantin Tyazhelo (à esquerda) e Oleg Levochkin (à direita) com medalhas obtidas pela ocupação da Crimeia. Esta fotografia foi publicada nos seus perfis nas redes sociais.

екіпаж ракетного катера Р-60

 Levochkin Oleg, nascido em 15 de Outubro de 1990, Stavropol, Rússia.

Cumpriu o serviço militar no lançador de mísseis P-60, (R-60), (designação NATO  Tarantul). [6]A fotografia do barco tem assinatura: “Aqui está o nosso belo R-60  [7]

ракетний катер Р-60

No álbum de Levochkin, há uma fotografia a bordo do navio. Comparamos essa fotografia com uma outra do navio P-60 [7]   do site militar chamado de  “VTS Bastion”. [8]

*VTS significa “colecção técnica militar”

Tyazhelo Konstantin, nascido em 10.11.199 na cidade de Izobilny, distrito de Izobilnensky, Krai de Stavropol, uma divisão federal da Federação Russa.

No seu perfil na rede social, indica a brigada em que serviu em 2013-2014.

A fotografia do barco P-60 (R-60) a constatar: “Minha pequena corveta”  

Comandante do navio de mísseis R-60

Em março de 2014, o lançador de mísseis P-60 participou do bloqueio dos navios da Marinha da Ucrânia na Baía de Donuzlav [9].

a legenda diz que P-60 participou no bloqueio dos navios ucranianos na Baía de Donuzlav

Anteriormente, a InformNapalm também indicou que o cruzador de mísseis “Moskva [10]” participou no bloqueio de navios ucranianos [11].

O comandante do P-60 na época da operação de captura da Crimeia era  Evgeniy Kuzmin, capitão de terceiro grau em russo, com equivalência a capitão-tenente.

Fotografias de Evgeniy Kuzmin e informações detalhadas sobre ele podem também ser encontradas no artigo do dia 30 de Outubro de 2015 do jornal russo chamado de “Bandeira da Pátria” (em russo: “Флаг Родины” [12], Flag Rodiny) guardado por nós no nosso site em formato pdf [13], caso a fonte russa fosse eliminada. 

Evgeniy Kuzmin no jornal “Флаг Родины”. 

O artigo diz que Evgeniy Kuzmin em 2003 formou-se na Academia Naval Superior de Rádio Electrónica (Popov).

A sua primeira posição foi de comandante de serviços de combate 4&7 (comunicações e sinais) do navio lança mísseis P-71 (R-71). Mais tarde foi oficial executivo desse mesmo navio. 

Após um curso de oficial superior, tornou-se oficial executivo da corveta lança mísseis Samum, (ou pequeno Navio Lança Mísseis de acordo com a classificação naval russa) e, em Setembro de 2012, tornou-se comandante do barco lança mísseis P-60 (R-60).

Recebeu a Ordem de Mérito à Pátria de segunda classe (recebeu essa condecoração por participar na agressão contra a Geórgia, a medalha “de valor militar” de segunda classe (pelo serviço militar do navio lança-mísseis no Mar Mediterrâneo), e a Medalha de Ushakov.

Kuzmin continua igualmente a ser comandante do barco lança mísseis P-60 após a anexação da Crimeia. [14]

Foi possível encontrar as listas [15] de militares russos condecorados por participarem na guerra russa contra a Geórgia, entre eles encontra-se Evgeniy Yuryevich Kuzmin. Portanto, conseguimos detectar o nome completo da pessoa envolvida.

A InformNapalm encontrou uma fotografia de E. Kuzmin com prêmios, acima mencionados. Nesta fotografia Kuzmin também tem uma medalha “Pelo Retorno da Crimeia”.

Conclusões

Kuzmin não está na lista (1 [16], 2 [17]) dos comandantes militares e oficiais russos indiciados pelo Gabinete do Procurador-Geral da Ucrânia.

O barco lança mísseis R-60 também não está mencionado [18] entre os navios envolvidos na agressão contra a Ucrânia. Portanto, apelamos às autoridades relevantes da Ucrânia e insistimos junto das mesmas para que se realizem todos os procedimentos legais necessários.


Vejam também


Tradução: Helena Sofia da Costa.
InformNapalm [1] não tem nenhum apoio financeiro do governo de nenhum país ou doador, os únicos patrocinadores do projeto são os seus voluntários e leitores. Também pode ajudar o InformNapalm com uma contribuição através da plataforma Patreon [26]. Siga o InformNapalm no Facebook [27] / Twitter [28] / Telegram  [29]e fique a par das novas publicações da comunidade.