- InformNapalm.org (Português) - https://informnapalm.org/pt -

Intensificação da guerra no leste da Ucrânia

Intensificação da guerra no leste da Ucrânia, no Donbass: no dia 24 de Janeiro os atacantes russos transportaram  armas de grande calibre, 120 mm e 122 mm através de áreas residenciais.

A exacerbação da guerra no Donbass no dia 24 de Janeiro de 2020 foi planeada pelas tropas híbridas russas e estava  a ser preparada há alguns dias. 

Esta é a conclusão de voluntários da comunidade internacional de informação OSINT, InformNapalm.

Na véspera do ataque, nos dias 22 a 23 de Janeiro, os militantes transportaram sistemas de artilharia de grande calibre, inclusivamente, através de áreas residenciais ocupadas do Donbass.

Um novo relatório da OSCE SMM nº 19/2020 de 24 de Janeiro [1] de 2020 indicou que os observadores notaram o movimento de 3 unidades de artilharia autopropulsada, de grande calibre  2S9 Nona-S, 120 mm, que se movimentaram em direcção a ocidente na área residencial da região Kyivskyi da cidade de Donetsk.

OSCE SMM nº 19/2020 de 24 de Janeiro

Recolhendo ao mesmo tempo dados de outras fontes, podemos assim concluir que no dia seguinte essas peças  de artilharia já foram usadas para bombardear as posições das Forças Armadas da Ucrânia.

A julgar pelos comentários dos residentes locais de Donetsk nas redes sociais que apareceram no dia 24 de Janeiro, esse armamento (incluindo 2S9 Nona [2], 120 mm) não apenas foi transportado, mas também “funcionou” activamente, quer dizer, foram efectuados disparos contra as posições do exército ucraniano.  

Aqui podemos ver alguns comentários feitos por habitantes da região. 

Obozrevatel [3][screenshots]

Загострення на Донбасі

Relatório da Operação de Forças Conjuntas (OOC em ucraniano)

O que descobrimos, pode ser confirmado pelo relatório [4] da Operação de Forças Conjuntas que foi publicado na manhã de dia 25. Neste link fornecemos alguns detalhes interessantes que  se correlacionam com o relatório da OSCE SMM nº 19/2020 de 24 de Janeiro de 2020.

As forças armadas da federação russa violaram o cessar-fogo 12 vezes durante o dia 24. O inimigo bombardeou as nossa posições com armas proibidas pelos Acordos de Minsk, artilharia de calibre 122 mm,  morteiros de calibre 120 mm e de 82 mm …

  • Perto da aldeia de Opytne foram disparadas 14 granadas de morteiro de 120 mm.
  • Perto da aldeia de Orikhove foram disparados 9 obuses de 122 mm.

Queriamos acrescentar que o sistema da informação da Operação de Forças Conjuntas tem vindo a denunciar estes ataques há vários dias. A importância destes ataques deve-se ao facto de que estes se tem verificado na área em que ficou decidido, nos últimos Acordos da Normandia, que seria desocupada por ambos os lados. Em relação a estes acordos assinados em 9 de Dezembro de 2019, as Forças Ucranianas retiraram ainda mais para o interior do seu território, enquanto que as Forças Russas, em desrespeito do acordo assinado, avançaram. 

Conclusão

Os voluntários de InformNapalm compararam dados recolhidos pelos relatórios da OSCE assim como dados de “fontes abertas” (open sources), investigaram e concluíram que as tropas híbridas russas transportaram essas peças de artilharia de forma a aumentar a tensão na zona de conflicto em particular aproveitando-se da retirada das Forças Ucranianas que apenas o fizeram em cumprimento do que ficou acordado nos Acordos da Normandia. 

É possível que esses bombardeios por tropas híbridas russas também tenham sido programados para o 5º aniversário do bombardeio de Mariupol, liderado por oficiais russos em 24 de janeiro de 2015 [5] , mais tarde, alguns deles receberam promoções de alta patente decretadas pelo presidente russo Vladimir Putin. 

 

Vejam também

 


Tradução: Helena Sofia da Costa.
Distribuição e reimpressão com a referência à fonte são bem-vindas! (Creative Commons – Atribuição Internacional 4.0 – CC BY 4.0)