- InformNapalm.org (Português) - https://informnapalm.org/pt -

Avistado pela primeira vez no Donbas: sistema de radar russo Kasta-2E1

Voluntários da Comunidade Internacional de Informação OSINT InformNapalm [1] receberam uma prova visual exclusiva dos relatórios sobre o primeiro avistamento oficial da estação de radar 51U6 Kasta-2E1 russa na parte ocupada do Donbas ucraniano.Por isso, iremos complementar o relatório da OSCE com informações e factos adicionais.

A estação de radar russa desse tipo foi detectada pela primeira vez pelos observadores da OSCE nas imagens de um mini drone. Informações textuais sobre o avistamento foram publicadas no relatório diário da Missão de Monitorização Especial da OSCE (em inglês: SMM)  38/2021 [2] datado de 17 de Fevereiro de 2021. O relatório indicou um equipamento 51U6 Kasta-2E1, radar de aquisição de alvos foi detectado a 15 de Fevereiro de 2021 numa área de treino perto de Buhaivka (37 km a sudoeste de Luhansk), no território temporariamente ocupado da Ucrânia, controlado por forças híbridas russas. Também foi indicado que a estação estava localizada a 30 km da linha de contacto.

[3]

Escondido à vista de todos *, sob a bandeira da Ucrânia

Na fotografia veem-se os militares russos ** que operam esta estação de radar no Donbas, depois de terem visto o mini drone da SMM da OSCE, a tentar apressadamente disfarçar o equipamento, a cobri-lo com lona ou película pintada nas cores azul e amarelo, bem como a bandeira da Ucrânia. Parece uma manobra para enganar os observadores e ocultar a origem russa do radar 51U6 Kasta-2E1. É irónico que nas posições das forças de ocupação russas no Donbas, sem redes de camuflagem convencionais, houvesse material para a rápida “ucrâniazação” do equipamento. Também poderia ter sido um “ardil de guerra” de algum comandante engenhoso.


*Em 2015, o centro de análise de Atlantic Council publicou o relatório [4] intitulado “Escondendo-se à vista de todos: a guerra de Putin na Ucrânia”. O relatório apareceu em 5 línguas apresentando evidências irrefutáveis de que as Forças Armadas russas estavam a ser deslocadas para o território da Ucrânia. A tradução oficial do relatório para ucraniano [5] e para russo [6] foi feita por voluntários do InformNapalm. Os materiais da Comunidade Internacional Voluntária de informação InformNapalm também foram incluídos e creditados nessa investigação.

**Como resultado de inúmeras investigações OSINT da InformNapalm, que foram sistematizadas no maior banco de dados [7] aberto do mundo com factos da localização de equipamento e militares russos na Ucrânia, sugerem fortemente que equipamento militar avançado, como o de guerra eletrónica e sistemas de radar, estão a operar e a ser equipados no Donbass exclusivamente por militares de carreira bem treinados da Rússia.
Na fotografia acima, do VANT da SMM da OSCE, há “stands de informação” perto dos equipamentos e suportes para material militar, um sinal claro de uma organização militar profissional com processos logísticos adequados.

O processo de estabelecer de coordenadas e geolocalização do local

Os voluntários da InformNapalm analisaram os dados de origem da imagem (30 km da linha de frente, 37 km a sudoeste de Luhansk) e geo-localizaram o local com as coordenadas exactas da localização do radar russo 51U6 Kasta-2E1. Coordenadas 48°24’50.2″N 38°52’36.9″E [8].

Gostaríamos de acrescentar algumas capturas de ecrã para comparação visual e justificativa.

[9] [10]

Imagens de satélite de 2018 da mesma área também mostram barris de óleo diesel ali armazenados, bem como equipamentos militares não identificados nas proximidades, cobertos por uma rede de camuflagem.

[11]

51U6 Kasta-2E1 russo com função anti-VANTs

Vale a pena notar que a estação móvel russa de radar UHF 51U6 Kasta-2E1 (NATO: Flat Face E, nome alternativo Casta 2E) foi projectada especificamente para detectar alvos no ar, incluindo aqueles que voam em altitudes ultra-baixas. Como a Ucrânia não usa nenhum poder aéreo na zona de Operação das Forças Conjuntas, a estação aparentemente é usada especificamente para caçar drones.


*Nota do tradutor: UHF – Ultra High Frequency, que significa Frequência Ultra-Alta, é a designação da faixa de radiofrequências compreendida entre 300 MHz e 3 GHz. É usualmente representada pela sigla UHF

Em Outubro de 2020, a InformNapalm apresentou conclusões com base em dados de inteligência e apontou para sinais de preparação [12] para uma escalada das hostilidades no Donbas. Alguns factos indicavam que o exército híbrido russo provavelmente estaria a preparar defesas contra os drones de ataque Bayraktar TB2. Aparentemente, o uso do radar russo 51U6 Kasta-2E1 no território ocupado é uma tentativa de levar em conta a experiência recente de usar drones de ataque Bayraktar TB2 durante as hostilidades entre o Azerbaijão e a Arménia.

Características técnicas

O sistema de radar 51U6 Kasta-2E1 inclui os seguintes veículos:

A tripulação da estação é composta por 6 militares. Fotografia do radar 51U6 Kasta-2E1. Fonte: bastion-opk.ru

[13]

A estação pode operar até 20 dias em modo de operação contínua. Raio de detecção do alvo – de 5 a 150 km, altitude – até 6 km.

Os radares 51U6 Kasta-2E1 foram produzidos entre 1989 e 2003 nas instalações da fábrica de instrumentos de medição de rádio de Murom na Federação Russa. Tais sistemas não foram fornecidos à Ucrânia nem antes, nem depois do colapso da URSS, portanto, a localização deste equipamento no Donbas é mais uma prova irrefutável da agressão da Federação Russa contra a Ucrânia. O banco de dados [14] da InformNapalm contém factos sobre mais de 50 tipos de armas e equipamentos militares russos que não poderiam ter sido capturados em combate e foram fornecidos secretamente ao Donbas pela Federação Russa. Essas descobertas recentes fornecem mais uma confirmação de que a Rússia controla, fornece e dirige totalmente as operações militares no leste da Ucrânia.

Escalada no Donbas e minagem remota

De acordo com a assessoria de imprensa do JFO [15], a 23 de Fevereiro de 2021, as forças híbridas russas mais uma vez violaram cinicamente o cessar-fogo e, além de bombardear as posições das Forças Armadas Ucranianas com armas proibidas, abriram fogo contra a aldeia de Vilny Khutir na região de Luhansk. Os invasores russos bombardearam as áreas civis com lançadores de granadas antitanque montados em tripés e também realizaram minagem remota da povoação.   Como resultado, um civil morreu devido a vários ferimentos causados por um morteiro que explodiu no seu quintal.

Segundo a ONU, de Abril de 2014 a 31 de Janeiro de 2021, de 13.100 a 13.300 pessoas morreram em consequência da guerra no Donbas.

A agressão militar híbrida russa no leste da Ucrânia foi uma continuação da operação para ocupar a Crimeia ucraniana. Também desviou a atenção da comunidade mundial da questão da Crimeia. Cada escalada no Donbas encobre ainda mais a ocupação da Crimeia na mente da comunidade internacional, embora ambas as campanhas militares sejam componentes da guerra não declarada da Rússia contra a Ucrânia.


A publicação foi preparada por Roman Burko e Mikhail Kuznetsov. Tradução: Helena Sofia da CostaDistribuição e partilha com referência à fonte são bem-vindas! O InformNapalm [1] não tem nenhum apoio financeiro do governo de nenhum país ou doador, os únicos patrocinadores do projeto são os seus voluntários e leitores. Também pode ajudar o InformNapalm com uma contribuição através da plataforma Patreon [16]. Siga o InformNapalm no Facebook [17] / Twitter [18] / Telegram  [19]e fique a par das novas publicações da comunidade.