- InformNapalm.org (Português) - https://informnapalm.org/pt -

Denis Ivashin, jornalista e voluntário da Comunidade Internacional InformNapalm, foi detido à força pela KGB da Belarus

A 12 de Março, à noite, oficiais da KGB da Belarus em Grodno detiveram o jornalista bielorrusso, voluntário da InformNapalm Denis Ivashin [1] e levaram-no para parte incerta.

[2]

Segundo a mãe de Denis, Lyudmila Ivashina, desde as 20h30 que oficiais da KGB estão a efectuar buscas no seu apartamento. A detenção e busca estão provavelmente relacionadas com a actividade jornalística de Denis. Ontem, 11 de Março, Denis deu uma entrevista [3] ao canal de TV russo “Nastoyaschee Vremya” sobre a terceira parte da sua própria, grande investigação OSINT sobre ex-funcionários da unidade especial de Berkut dissolvida na Ucrânia, que ingressou no regime de Lukashenko na Belarus após fugirem da Ucrânia. Esta investigação foi publicada no dia anterior nas páginas do jornal bielorrusso “Новы Час [4]“. ” 

[5]

Lembramos que Denis Ivashin é um cidadão da Belarus com o estatuto de ucraniano estrangeiro [6]. Em 2014, foi um participante activo da Revolução da Dignidade de Maidan em Kyiv, e depois juntou-se à Comunidade Internacional Voluntária de Inteligência OSINT InformNapalm como investigador e tradutor. Tornou-se o editor-chefe da versão em idioma bielorrussa [7] da nossa comunidade. Preparou activamente as suas próprias investigações, bem como traduziu, para bielorusso, informações sobre a agressão militar da Federação Russa contra a Ucrânia, preparadas pela InformNapalm.  

A detenção de Denis Ivashin pode representar uma ameaça à sua vida e saúde por parte da KGB da Belarus ou pelo FSB da Federação Russa. É por isso que apelamos aos jornalistas, diplomatas, activistas dos direitos humanos e todas as pessoas de boa vontade interessadas para ajudar a tornar a situação o mais pública possível e ajudar a libertar Denis Ivashin do cativeiro do regime de Lukashenko.

Actualização /Hoje, dia 13 de Março de 2021, às 10:00 horas da manhã/

Como foi sabido hoje, o Denis continua a comportar-se corajosamente e firmemente. O motivo formal da detenção foi com o disposto no artigo n.º 365 (Interferência com a execução ou o cumprimento da lei).

Na situação à qual se aplique o artigo acima mencionado, uma pessoa pode ser condenada a pena de prisão de 3 anos ou um indivíduo pode ter de pagar multa.  

Conforme Regime jurídico do mandado de detenção, às 17h40 do dia 15 de Março, o prazo de detenção expira, portanto, deve haver uma decisão: ou Denis será mantido sob custódia policial ou poderá ser libertado mediante o pagamento de fiança.


Tornou-se conhecido que no momento o Denis está detido no centro de detenção pré-julgamento de prisão n.º1 em Grodno [8] com o seguinte endereço: Rua Kirov, n.º1.

Contacto dum funcionário da prisão: +375 (152) 62-33-11.

UPD a partir de 14:40 de 15 de Março de 2021.

No dia 12 de Março, Denis foi detido e preso com inúmeras violações de seus direitos, assim como impedido de comunicar com um advogado. A 15 de Março, às 14h40, soube-se que Denis Ivashin irá permanecer mais dois meses na prisão para que o KGB continue a fabricar provas falsas que permitam a continuação da perseguição política a Denis Ivashin. Apelamos à comunidade internacional para que se junte ao apoio informativo, legal e outros de Denis Ivashin, bem como de mais de 10 jornalistas bielorrussos presos ilegalmente por razões políticas.

[9]
Reação oficial à detenção de Denis Ivashin por parte de diplomatas e jornalistas

Diplomatas de vários países já expressaram profunda preocupação com a detenção de Denis Ivashin e com a prisão de outros jornalistas da Belarus e pediram o fim da perseguição política.

Em particular, a 13 de março, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Lituânia respondeu publicamente à ultrajante situação. O tweet correspondente [10] foi publicado no site oficial do Departamento de Comunicação Estratégica e Assuntos Públicos do Ministério da Defesa Nacional da República da Lituânia.

Em 15 de março, uma resposta pública [11] às pesquisas dos media sobre a detenção do jornalista Denys Ivashin na Belarus foi também foi publicada no site do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia.

Reportagens dos meios de comunicação social da Belarus, Lituânia, Ucrânia, Polónia e outros países também se juntaram às declarações públicas exigindo a demissão e o fim da perseguição política do jornalista e voluntário Denys Ivashin. A campanha de informação que exige a libertação de jornalistas bielorrussos prisioneiros políticos do regime de Lukashenko está agora a ganhar ímpeto. E apelamos a todas as pessoas interessadas unirem-se no apoio àqueles que foram presos ilegalmente por dizerem a verdade e conduzirem investigações jornalísticas.

Update / 17 de Março de 2021.

Segundo Olga Ivashina [12], esposa do jornalista detido Dzianis Ivashin, o seu marido recebeu uma encomenda ontem e passou uma mensagem através do seu advogado dizendo que se sentia alegre e confiante. Olga também pediu a todos que desejem apoiar Dzianis que lhe escrevam cartas (de preferência carta registada) ou enviem postais para o seguinte endereço: número 230023, prisão №1, ul. Kirova 1, Grodno, Ivashin Dzianis Evgenievich. Olga também disse que é possível enviar ordens de pagamento em seu nome, para que ele se sinta apoiado caso as cartas não sejam permitidas. Agradeceu também a todos pelo apoio e pela ajuda e pediu que continuem a lutar pela libertação de presos políticos na Belarus.


A publicação foi preparada por Roman Burko. Tradução: Helena Sofia da CostaDistribuição e partilha com referência à fonte são bem-vindas! O InformNapalm [13] não tem nenhum apoio financeiro do governo de nenhum país ou doador, os únicos patrocinadores do projeto são os seus voluntários e leitores. Também pode ajudar o InformNapalm com uma contribuição através da plataforma Patreon [14]. Siga o InformNapalm no Facebook [15] / Twitter [16] / Telegram  [17]e fique a par das novas publicações da comunidade.